Homem-Aranha: Um novo universo – MFC Resenha

 

Homem-Aranha: Um novo universo

 

MFC Resenha

 


 

Homem-Aranha no Aranhaverso é o novo filme do amigo da vizinhança, o Homem-Aranha, fora do Universo Cinematográfico da Marvel.

 

Dirigida por Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman, e produzida por Sony Pictures Animation em associação com a Marvel Entertainment, Homem-Aranha no Aranhaverso foi anunciada em julho de 2015 e finalmente estreada dia 14 de dezembro de 2018. Seu longo processo de produção resultou em um dos filmes animados mais ambiciosos da década, levando o Oscar a Melhor Filme de Animação em 2019.

 

O filme nos apresenta a história de Miles Morales (dublado por Shameik Moore), um adolescente de Nova Iorque que assumirá a difícil tarefa de se transformar em Homem-Aranha, depois que as ações do vilão Rei do Crime, dublado por Liev Schreiber (X-Men Origens: Wolverine, 2009), desestabiliza a realidade. Graças a isso, Miles aprenderá que não é o único Homem-Aranha nos arredores, sendo apoiado por encarnações do herói como um Peter Parker mais velho, dublado por Jake Johnson (New Girl, 2011-2018), Mulher-Aranha, dublado por Hailee Steinfel (Bumblebee, 2018) e Homem-Aranha Noir, dublado pelo ganhador do Oscar Nicolas Cage (Kick-Ass: Quebrando Tudo, 2010), entre outros, para ajudar a restaurar a ordem no multiverso.

 

Homem-Aranha no Aranhaverso dá um passo mais além no cinema de animação, com um processo tão sofisticado que em um mês de trabalho somente era produzido quatro segundos de vídeo, sendo necessário uma equipe de 800 animadores para completar o filme em 4 anos.

 

A animação se destaca por apostar em certos estilos e técnicas visuais típicas da história em quadrinhos para fazer o espectador se sentir entre as páginas de um comic, dando especial atenção para que cada fotograma fosse visto como uma ilustração independente e terminando com um filme de grande personalidade.

 

O filme contou com atores de grande categoria, como Chris Pine (Mulher Maravilha, 2011), Zoë Kravitz (Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, 2018) e o ganhador do Oscar Mahershala Ali (Green Book: O Guia, 2018), e foi dedicada aos dois criadores de Homem-Aranha, Steve Ditko, quem faleceu em julho de 2018, e ao legendário Stan Lee, que faleceu em novembro de 2018 e teve um último cameo no filme.

 

Ainda que em 2015 a Marvel Studios e a Sony chegaram a um acordo para que o personagem pudesse ser incluído no Universo Cinematográfico de Marvel, os direitos  do Homem-Aranha continuam pertencendo a Sony, a qual já está trabalhando na construção do seu próprio universo de filmes em torno do herói aracnídeo, começando com Venom (2018) e seguindo com o multiverso, com sequencias e spin-off entre os planos.

 

Abrindo um novo espaço para que os filmes animados de super-heróis não sejam limitados a estreias televisivas, Homem-Aranha no Aranhaverso busca inspirar a todos a se transformarem em heróis, a deixar as diferenças de lado e a unir as particularidades que nos destacam em prol do bem comum, já que com grande poder, vem uma grande responsabilidade.