Marvel Studios: 11 anos de histórias – MFC Editorial

 

Marvel Studios: 11 anos de histórias

 

MFC Editorial

 


 

Se passaram 11 anos desde que a Marvel Studios iniciou a série de filmes mais bem-sucedidas de todos os tempos.

 

As salas de cinema sempre transbordaram de entusiasmo a cada nova produção e, o que começou como simples desejo de ver os personagens clássicos da Casa das Ideias nas telonas, se tornou a franquia mais rentável da história.

 

 

A jornada da Marvel Studios é definida em três fases, as quais formam uma saga de filmes que encontram o seu fim em Vingadores: Ultimato (2019). Foi através destes filmes que a Marvel Studios pode nos introduzir a um mundo em que os super-heróis não são formados apenas de golpes e superpoderes. Desta maneira, os personagens que só existiam nas histórias em quadrinho se tornaram personalidades que agora vive em todos os nossos corações.

 

No My Family Cinema Editorial, revisaremos as três fases que fizeram do Vingadores: Ultimato o filme mais aguardado da década, além do que virá com a Fase 4 do Universo Cinematográfico da Marvel Studios.

 

Leia nossa Resenha da Vingadores: Ultimato aqui.

 

 


 

Fase 1: Construindo personagens

 

 

Desde 1939, a Marvel Comics tem criado personagens sobretudo carismáticos. Para se destacar de seus competidores, a Marvel desenvolveu histórias que apresentam características da vida cotidiana, no qual vemos os super-heróis com poderes incríveis lutarem não só com vilões como também com as vicissitudes da vida familiar, acadêmica e amorosa.

 

 

Ao longo dos anos, muitos destes personagens apareceram em filmes coproduzidos pela Marvel Studios, no entanto, nenhum deles capturaram a essência de sua fonte. Não foi senão na primeira década dos anos 2000 que, com o sucesso de X-Men (2000) e Homem-Aranha (2002), o gênero de super-heróis adquiriu o conhecimento necessário para contar um novo tipo de história.

 

Desse modo, nasceu Homem de Ferro (2008), o primeiro filme produzido inteiramente pela Marvel Studios e seu presidente, o produtor Kevin Feige. Dirigido por Jon Favreau e protagonizado por Robert Downey Jr. no papel de Tony Stark, o filme explorou as vulnerabilidades do personagem, apresentando um Stark que, longe de ser uma pessoa exemplar, embarca em uma jornada pessoal para fazer o que é certo, começando por repensar em suas próprias motivações.

 

Após ser retratado em um estado de redenção pessoal, Tony Stark se torna o primeiro herói do gênero a assumir as consequências de suas ações, revelando a si mesmo publicamente como o Homem de Ferro e mudando radicalmente o mundo em que vive. Consequentemente, isto abre caminho para a construção de um mundo de filmes interligados, cuja magnitude ainda não tinha sido explorada, dando vida, portanto, ao Universo Cinematográfico da Marvel (UCM).

 

Com o propósito de criar histórias guiadas pela evolução dos personagens, a Marvel Studios produziu Homem de Ferro 2 (2010), Thor (2011) e Capitão América: O Primeiro Vingador (2011), aprofundando a construção do Universo Cinematográfico, inspirado pelo próprio universo da Marvel Comics.

 

Procurando se destacar dos outros estúdios, Marvel provou que o segredo para uma boa história é o desenvolvimento do protagonista. Assim, não os utilizou como desculpa para uma história genérica, mas focou no desenvolvimento minucioso e singular dos personagens, com características peculiares e interesses particulares, cujas decisões revelam a história diante dos olhos da audiência.

 

O projeto é consolidado com Vingadores (2012), no qual a direção excepcional de Joss Whedon reúne um grupo de personagens previamente apresentados, dando-lhes a oportunidade de se provarem e interatuarem em um filme ambicioso e bem-sucedido, consolidando o trabalho que mudaria o escopo do cinema para sempre.

 

 

Fase 2: Conquistando objetivos

 

 

Com o lançamento dos Vingadores, a Fase 1 da Marvel Studios termina e o foco vai para o desenvolvimento dos relacionamentos entre as personagens que, de agora em diante, determinam o futuro da saga.

 

Embora os lançamentos do Homem de Ferro 3 (2013), Thor: O Mundo Sombrio (2014) e Capitão América: O Soldado Invernal (2015) aprofundarem nos personagens apresentados anteriormente, lida com as consequências dos eventos de Vingadores e introduz novos personagens no UCM, a estreia de Guardiões da Galáxia (2014) prova mais uma vez o sucesso da fórmula da Marvel. Dirigido e escrito por James Gunn, o filme mostra uma nova história sobre um grupo de heróis desconhecidos que se tornou uma das introduções mais consagradas da franquia.

 

Ao mesmo tempo, o estúdio testa novas áreas com Capitão América: O Soldado Invernal, um filme no qual designaram os Irmãos Russos como diretores, que re-empoderaram o Capitão América e se tornaram o novo foco do MCU. Isto é quando o personagem Steve Rogers começa a lidar mais diretamente com uma época da qual ele não pertence, enquanto explora suas habilidades e desenvolve os relacionamentos que vai continuar a formar sua personalidade até a culminação da Fase 2, com a estreia de Vingadores: A Era de Ultron (2015) e Homem-Formiga (2015).

 

Com personagens bem estabelecidos, é nesta fase que as Joias do Infinito começam a aparecer, criando um espaço para o lado cósmico do UCM na Fase 3.

 

 

Fase 3: A Saga do Infinito

 

 

O trabalho dos Irmãos Russo se tornou crucial para a Fase 3. O lançamento de Capitão América: Guerra Civil (2016) aumentou as expectativas dos fãs, tornando-se o primeiro e, até agora, o único filme baseado em apenas um personagem que reune vários heróis e defronta a dissolução dos Vingadores como uma consequência irremediável a ser tratada nos próximos filmes.

 

Após a introdução de vários novos heróis com os lançamentos de Doutor Estranho (2016), Guardiões da Galáxia Vol. 2 (2017), Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2018), Thor: Ragnarok (2017) e o indicado ao Oscar de Melhor Filme Pantera Negra (2018), o clímax de 10 anos de história é introduzida pelos Irmãos Russo com Vingadores: Guerra Infinita (2018), um dos filmes mais esperados dos últimos tempos.

 

Vingadores: Guerra Infinita foi o ápice do UCM, nos mostrando a morte de metade dos heróis, cujas histórias temos desfrutado pela maior parte da última década, e transformando a história do cinema. Com o lançamento de Homem-Formiga e a Vespa (2018), Capitã Marvel (2019) e Vingadores: Ultimato (2019), forte alicerce para o futuro da franquia, a Marvel Studios concluiu a Saga do Infinito.

 

Leia nossa Resenha da Capitã Marvel aqui.

 

 

Fase 4: A seguir

 

 

Apesar que a história de vários heróis originais do UCM tenha chegado ao fim, o universo ainda tem muito a contar.

 

Com a liderança de Kevin Feige, o gênio por trás de todo o projeto, a Marvel Studios está preparando a Fase 4, que deverá ser anunciada após o lançamento de Homem-Aranha: Longe de Casa em julho de 2019.

 

Até agora, os filmes confirmados para o futuro da franquia são: Guardiões da Galáxia Vol. 3, com o retorno de James Gunn como escritor e diretor, para concluir a história dos guardiões; Pantera Negra 2 e Doutor Estranho 2, a ser lançado em 2021; um filme da Viúva Negra e um filme chamado Os Eternals, aonde teremos novamente um vislumbre do lado cósmico da Marvel.

 

O lançamento oficial da Disney+, a nova plataforma de streaming da Disney, trouxe grandes anúncios para os fãs da Marvel. Além de incluir todos os filmes da Marvel Studios, a plataforma irá lançar novas séries que irá fazer parte do UCM, contando a história do que aconteceu antes e entre os filmes.

 

As séries anunciadas até agora são Falcão & Soldado Invernal e WandaVision, aonde os atores Anthony Mackie (Falcão), Sebastian Stan (Soldado Invernal), Elizabeth Olsen (Feiticeira Escarlate) e Paul Bettany (Visão) retornarão a interpretar seus personagens. Outra série também mencionada foi a que Tom Hiddleston irá reprisar novamente Loki, em uma história situada a milhões de anos antes dos eventos dos filmes.

 

Não podemos esquecer que, com a aquisição recente da Disney (20th Century Fox), vários direitos fílmicos da Marvel Comics voltam ao seu lar, então podemos esperar que filmes como X-Men e Quarteto Fantástico possam fazer parte do Universo Cinematográfico da Marvel.

 

O futuro da Marvel Studios é brilhante e estaremos lá para desfrutá-lo. Votos para mais onze anos de um ótimo cinema!