Operação Fronteira – MFC Resenha

 

Operação Fronteira

 

MFC Resenha

 


 

Operação Fronteira (Triple Frontier) é o novo filme de ação da Netflix, com a direção de J. C. Chandor (O Ano Mais Violento, A Most Violent Year, 2014) e roteiro de Mark Boal (Guerra ao Terror, The Hurt Locker, 2009).

 

Em desenvolvimento desde 2010, o filme esteve originalmente sob a produção de Paramount, e nomes como Tom Hanks, Johnny Depp e Channing Tatum estavam envolvidos em algum ponto. Em abril de 2017, Paramount decidiu não seguir adiante com o projeto, o qual foi retomado pela Netflix um mês depois, estreando-o mundialmente através da sua plataforma de streaming no dia 13 de março de 2019.

 

Em Operação Fronteira, cinco veteranos das Forças Especiais do EUA decidem, por primeira vez, usarem suas habilidades em benefício próprio, planejando então um roubo milionário a um senhor do tráfico escondido nas profundidades da selva sul-americana. O filme conta com as atuações de Ben Affleck (Liga da Justiça, 2017) como Tom “Redfly” Davis, Oscar Isaac (Star Wars: Os Últimos Jedi, 2017) como Santiago “Pope” Garci, Charlie Hunnam (Rei Arthur: A Lenda da Espada, 2017) como William “Ironhead” Miller, Garrett Hedlund (Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi, 2017) como Ben Miller e Pedro Pascal (Game of Thrones, 2014) como Francisco “Catfish” Morales.

 

Ainda que no princípio a operação vai de acordo ao plano, o filme se transforma num thriller à medida que a fuga dos personagens se torna cada vez mais complicada. Com grande cinematografia, lindas fotos da cordilheira dos Andes e um ótimo roteiro, Operação Fronteira resulta ser melhor que o esperado.

 

Quebrando o padrão dos típicos filmes de ação, Operação Fronteira está cheio de momentos memoráveis e personagens carismáticos, nos quais os espectadores podem mergulhar e sair profundamente satisfeitos, com um final que dá pé a uma sequência que todos nós estaríamos encantados de ver.