The Umbrella Academy: Refletindo sobre super-heróis – MFC Editorial

 

The Umbrella Academy: Refletindo sobre super-heróis

 

MFC Editorial

 


 

Durante os últimos 10 anos, o gênero de super-heróis cresceu até se tornar um dos segmentos mais rentáveis do cinema e da televisão.

 

Com suas grandes sequências de ação e incríveis efeitos visuais, o cinema dos super-heróis estabeleceu um padrão que se repete na maioria das propostas do gênero, sendo as preferidas as histórias de origem e crossovers, como nos filmes Capitã Marvel (2019) e Vingadores: Ultimato (2019).

 

Leia aqui nossa resenha de Capitã Marvel.

 

Por outro lado, graças as bases do gênero já estabelecidas, seus limites estão se expandindo pouco a pouco e novos tipos de histórias já estão sendo narrados. Bons exemplos são Deadpool (2016), cuja sátira ao gênero depende de que o mesmo tenha sido desenvolvido plenamente, ou Logan (2017) e Coringa (2019), que se aprofundam mais na psique dos personagens.

 

Conheça mais sobre o Coringa aqui.

 

The Umbrella Academy é uma destas histórias em que, sem perder de vista as características que definem o gênero, os super-heróis descansam um pouco dos golpes para entrar em exploração mais complexa, cheia de grandes personagens, diferentes linhas temporais e uma história envolvente.

 

Viajemos no tempo com The Umbrella Academy e exploremos um pouco mais no My Family Cinema Editorial.

 

 


 

Passado

 

 

A série The Umbrella Academy é baseada na história em quadrinhos de mesmo nome, escrita por Gerard Way, vocalista da banda My Chemical Romance, e ilustrada pelo brasileiro Gabriel Bá, sendo publicada inicialmente em 2017 por Dark Horse Comics.

 

Narra a história de um grupo de super-heróis que compartilham a peculiaridade de terem nascido no mesmo dia e na mesma hora, de mulheres que não estavam grávidas. Os sete personagens são adotados por Sir Reginald Hargreeves, fundador da Umbrella Academy, um excêntrico milionário que educará e cuidará deles para que eles, com o tempo, protejam o planeta diante de qualquer ameaça.

 

A ideia de um supergrupo pode ser rastreada em propostas prévias dentro do mundo das histórias em quadrinhos, como em X-Men ou Doom Patrol, mas The Umbrella Academy se destaca por se concentrar nas personalidades e laços familiares que unem e identificam a cada personagem, mais que em seus poderes.

 

Ainda que em 2011 existia rumores de um filme de The Umbrella Academy produzido pela Universal, em julho de 2015 foi anunciado que o projeto se desenvolveria como uma série de televisão. Em 2017, foi anunciado oficialmente que a Netflix tinha encomendado uma adaptação televisiva e, finalmente em fevereiro de 2019, lançou os 10 episódios que compõe a primeira temporada.

 

 

Presente

 

 

A história de The Umbrella Academy começa quando, após muitos anos sem se verem, os irmãos Hargreeves se reúnem para o funeral de seu pai, que morreu em estranhas circunstâncias.

 

Entre os personagens principais se encontram Luther “Número Um” Hargreeves, líder do grupo e astronauta, interpretado por Tom Hopper (Black Sails, 2014 – 2017); o rebelde Diego “Número Dois” Hargreeves, interpretado por David Castañeda (Sicário: Dia do Soldado, 2018); Allison “Número Três” Hargreeves, que se afastou de sua vida como heroína para se tornar uma atriz famosa, interpretada por Emmy Raver-Lampman (Hamilton: An American Musical, 2015); Klaus “Número Quatro” Hargreeves, um viciado em drogas, interpretado por Robert Sheehan (Máquinas Mortais, 2018); Número Cinco, um viajante do tempo interpretado por Aidan Gallagher (Nicky, Ricky, Dicky & Dawn, 2014 – 2018) e Vanya “Número Sete” Hargreeves, a irmã sem poderes, interpretada por Ellen Page (X-Men: Dias de um Futuro Esquecido, 2014).

 

A produção da série brilha com atuações altamente bem-sucedidas, trilha sonora e cinematografia envolventes, mas se supera com a execução de Pogo, o chimpanzé mordomo da família, interpretado por Adam Godley (O Bom Gigante Amigo, 2016), com efeitos especiais diretamente saído de Planeta dos Macacos: A Guerra (2017).

 

Ainda que seja uma história cheia de ação, a série foca em explorar as relações entre os membros da família Hargreeves. As personalidades, os desejos e as motivações de cada um são o que fazem da The Umbrella Academy uma série envolvente que prende seus espectadores desde o primeiro episódio.

 

Noções como liderança, fraternidade e responsabilidade são tratadas com profundidade em conjunto com os personagens, cujo crescimento foi marcado por seus desenvolvimentos individuais e suas relações familiares, no qual o dano gerado por um pai emocionalmente ausente é uma das essências da história, notando-se as marcas que o isolamento, o maltrato e a solidão podem deixar nas pessoas.

 

 

Future

 

 

Com o surgimento de propostas cada vez mais focadas na desconstrução do super-herói e a exploração de personagens, The Umbrella Academy e o gênero de super-heróis têm um futuro brilhante. A Netflix está apostando em histórias fora do comum, com técnicas narrativas mais ousadas e temáticas originais, o que não duvidamos em suas propostas. Por sorte, já é oficial que a série foi renovada para uma segunda temporada, cuja produção começará na segunda metade de 2019.

 

Enquanto a história em quadrinhos de The Umbrella Academy leva a história adiante, a primeira temporada da série foi levemente baseada nos primeiros volumes titulados Suíte Apocalíptica e Dallas. Com Gerard Way e Gabriel Bá ainda à frente do projeto original, sendo Hotel Oblivion o volume mais recente, The Umbrella Academy tem muita história para contar.